Álvaro Damião

Coluna do Álvaro Damião

Veja todas as colunas

Copa Libertadores da Europa 

Se a história parasse por aqui, seria até bom, mas infelizmente em 2019 teremos mais mudanças.

11/12/2018 às 12:02


Quem imaginou que algum dia a final da Copa Libertadores seria na Europa? Pois bem, a Conmebol conseguiu nos provar que é capaz de tudo! Esta entidade nos surpreende todos os dias, com decisões inesperadas. Se há algo bom nisso, eu ainda não encontrei. 

Há alguns dias, quando foi anunciado que a final da Libertadores entre River x Boca não seria na Argentina, já achei um absurdo, mas ainda assim sugeri que a partida fosse direcionada para o Mineirão, um estádio cheio de histórias e com muita tradição na competição. A decisão da Conmebol foi mandar a partida para o Santiago Bernabéu, em Madrid.

De acordo com o presidente da Confederação, Alejandro Dominguez, quatro fatores pesaram na escolha do estádio: latinidade, segurança, facilidade de conexões aéreas e tradição no futebol. Ora, o Mineirão não atende aos quatros requisitos? Atende! Qual a lógica para enviar a partida para Madrid? Nunca saberemos.

Se a história parasse por aqui, seria até bom, mas infelizmente em 2019 teremos mais mudanças.

No próximo ano, a final da competição será decidida em partida única, disputada no Estádio Nacional, na cidade de Santiago, no Chile.

A Conmebol acredita que uma competição como a Libertadores, sendo decidida em apenas um jogo, será um evento que vai inspirar todos os sul-americanos a sonhar grande. Mas que beleza hein, Conmebol? Sonhar grande levando a decisão para um estádio completamente ultrapassado? Quem já esteve lá sabe que o estádio é até apto a receber jogos “normais” de Libertadores, mas uma grande final de dois times grandes? Sinceramente? Seria até cômico se não fosse trágico. 

A verdade é que a Conmebol quer empurrar goela abaixo, o modelo da Champions League para tentar atrair mais investidores. É uma pena que só a entidade não percebeu que nossa maneira de fazer futebol é muito diferente do modelo europeu. Isso só nos mostra que talvez os interesses da entidade não sejam agradar ao público sul-americano. Uma pena. 

E por falar em Libertadores, o Atlético, classificado para a fase preliminar, precisa renovar o contrato com o zagueiro Leonardo Silva. Mesmo aos 39 anos, será uma peça importantíssima para o Galo na competição. Sua liderança em campo é indiscutível e tudo isso faz parte de um projeto vencedor. 

Da mesma forma, digo que o Cruzeiro deveria fazer de tudo para manter o meia Thiago Neves no elenco. Há tempos o time celeste necessitava de um jogador polêmico e que, ainda que não esteja em boa fase, é extremamente decisivo em campo. 

A Libertadores 2019 agradecerá a presença de Leonardo Silva e TN30, nos elencos de Atlético e Cruzeiro, respectivamente. 

Tamo junto e até a próxima! 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    A previsão é de que os primeiros voos experimentais sejam realizados em outubro em Campinas, SP. #Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️O Atlético Goianiense, por sua vez, se deparou com quatro testes positivos entre seus atletas.

    Acessar Link