Notícias

Campanha da ANS reforça importância do parto normal

Por Agência Brasil , 05/12/2019 às 10:53
atualizado em: 05/12/2019 às 10:54

Texto:

Foto: Agencia Brasil/Tânia Rêgo
Agencia Brasil/Tânia Rêgo

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou uma edição da campanha de mobilização para sensibilizar os planos de saúde, os médicos e as gestantes sobre a importância do parto normal e do respeito às fases da gestação, reforçando que a tomada de decisão nesse momento seja tomada em função da saúde da mãe e do bebê e não por conveniência.   

O projeto Parto Adequado é uma parceria da ANS com a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement. Ele é divulgado por meio do site da ANS e em suas redes sociais, onde a agência reforça informações sobre a importância do nascimento no tempo certo.   

“A proposta da campanha é sensibilizar mães e profissionais de saúde que o bebê tem seu tempo e que as fases da gestação devem ser respeitadas. A escolha pelo tipo de parto deve sempre levar em consideração a saúde, já que os riscos associados à cesariana existem e podem resultar em problemas graves para mães e bebês, como complicações respiratórias, dificuldades para amamentar e infecções puerperais”, disse Rodrigo Aguiar, diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS. “É importante que a gestante se informe, busque apoio de especialistas para entender as opções e faça sua escolha de forma consciente. Cesáreas são importantes, mas quando há indicações clínicas”, acrescentou.  

Um dos objetivos da campanha é reduzir as altas taxas de cesarianas no país e também melhorar a experiência da maternidade para mães e bebês. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice razoável de cesáreas é de 15% dos nascimentos. No Brasil, 55,6% do total de partos realizados anualmente são cirúrgicos e 83% deles são realizados por planos de saúde.

Segundo a ANS, o parto normal favorece o vínculo do bebê com a mãe, fortalece o sistema imunológico e melhora o ritmo cardíaco e o fluxo sanguíneo do bebê, além de favorecer o aleitamento e promover uma recuperação pós-parto mais rápida e menos dolorosa para a mãe.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link